21.7.11

Nunca vi o teu rosto,
Não sei o teu gosto,
Nunca senti o teu cheiro,
Mas, sinto-te por inteiro.

É a saudade ingrata
De uma paixão desenfreada,
Uma vontade de teu corpo
A mesma que sinto de teu rosto.

Venha sobre as nuvens,
Viaje no rabo de um cometa,
Me busque e beije-me por inteira.

A saudade do teu corpo
Dói no meu só de pensar em ti perdido,
Leve-me ao delírio e deixo-te enlouquecido.

Nenhum comentário: