23.10.12

Águas profundas

Houve um tempo de urgência, um amor desmedido a emergir de águas profundas.
Houve um tempo de riscos na carne onde sabíamos tudo, entendíamos as bruxas as fadas, os bichos e mergulhávamos nas noites escuras vestidos de amor. 
Escorregávamos para dentro de todos os espelhos fantasiados de cores de flores, éramos estrelas de todos os mares sem atitudes complicadas, sem medo, sem simulações. Bebíamos todas as gotas de orvalho, cotidianos de rios mágicos, caatingas, savanas e arco-íris, todos os extremos e contrastes. Dia após dia nos consumíamos em prazer em malícia. 
Lua sóis e estrelas em todo o seu esplendor nos pertenciam, a vida nos pertencia em todas as suas manifestações e dançávamos a luz de todos os sóis.
 Possuíamos a loucura do prazer e um desejo ardido a nos consumir. 
Vinho tinto a escorrer, risada selvagem, desejos...
 

3 comentários:

Pat. disse...

Lembranças de um tempo bom...

Um Beijo minha querida!

Skin n Under disse...

É tempo desse tempo regressar.

Lynce disse...

É para a semana, queridona!

Beijinhos
:)))