2.3.13

Quero a loucura por inteiro. Qualquer que seja ela...
Gota a gota, dedo a dedo, penetrando nas vertigens dos meus medos e desrespeitando sem ternura os limites da minha sanidade. 
Quero peneirar meus demónios nas minhas más intenções e no compasso de um silêncio áspero onde o sobressalto do prazer se faz vencedor sem concorrência e me grita em gotas de sémen doce misturadas com lágrimas cor de lua que, estou viva. 
Estranhamente viva. 
Simplesmente viva.

Nenhum comentário: